Notícias

25/09/2017

Cervejarias começam a investir em campanhas de consumo responsável

Cansado de denúncias de corrupção, o consumidor brasileiro passou a exigir transparência do setor público e também dos entes privados. Das empresas, por exemplo, não espera mais apenas produtos de boa qualidade, mas responsabilidade social. E as cervejarias parecem ter entendido isso, tanto que, apesar de faturarem com a venda de bebidas alcoólicas, estão investindo pesado em campanhas de consumo responsável. 

Só o Grupo Petrópolis, que responde pelas marcas Itaipava, Crystal, Petra e Black Princess, destinou R$ 8 milhões para a campanha ‘Saber Beber’ no Brasil neste ano. Já a Ambev, produtora da Skol, Antarctica e Brahma, investiu mais de R$ 45 milhões em seu programa nacional de consumo responsável nos últimos três anos. E a companhia ainda tem um plano de longo prazo para propagar o chamado consumo consciente no mundo. Entre as metas, estão o aumento das vendas de produtos não alcoólicos, a inclusão de orientações de consumo inteligente em todas as embalagens de cerveja do grupo e o investimento de US$ 1 bilhão em campanhas e programas de conscientização até 2025. 

“Não temos interesse no lucro proveniente do consumo indevido dos nossos produtos”, explicou a gerente nacional de sustentabilidade da Ambev, Carla Critta, dizendo que não dá para pensar em sustentabilidade em um mundo em que pessoas consomem bebida antes dos 18 anos, bebem em excesso e dirigem depois de beber. “É nosso dever que o produto seja usado de forma correta”, declarou, admitindo que esse posicionamento também atende às novas exigências do cliente brasileiro. “O consumidor, cada vez mais, espera que as empresas façam ações em prol da sociedade e não só de interesse próprio”, contou. 

“O consumidor está mais exigente, procurando empresas conscientes e responsáveis socialmente. Por isso, temos que acompanhar esse movimento para continuar próximos do nosso cliente”, acrescentou o gerente de comunicação corporativa do Grupo Petrópolis, Emerson Neves, que quer interagir cada vez mais com o cliente e, por isso, usa redes sociais e eventos para divulgar mensagens de consumo consciente. “Às vezes, tiramos nossa marca para passar uma mensagem educativa nos eventos que patrocinamos. O consumidor que sabe que a empresa é consciente mantém-se próximo. E essa aproximação e admiração se reverte em vendas”, afirmou. 

Diretor executivo da Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil), Paulo Petroni reconhece que parece contraditório uma empresa que fatura com a venda de bebidas alcóolicas destinar recursos para campanhas que promovem o consumo moderado, mas garante que o retorno é garantido. “O que parece ser antagônico na verdade se mostrou sinérgico. Primeiro porque as grandes empresas têm a responsabilidade de educar o consumidor para que ele faça um bom uso do produto que colocam no mercado. Também tem a questão econômica. Um jovem que começa a beber com 14 anos vai ter dificuldade para cursar faculdade e tornar-se um assalariado, ficando à margem do mercado de consumo. Ou seja, não será um consumidor que vai trazer lucratividade para o setor”, afirmou. 

Carla Critta concluiu, então, que “é melhor para a empresa ter clientes que possam consumir bebidas de forma saudável, sem causar problemas para a vida dela ou dos outros”. “Todo mundo sai perdendo se não houver essa conscientização, porque temos problemas de saúde, brigas e acidentes provocados pelo consumo excessivo”, completou Neves, frisando que “não há problema em beber, o importante é saber beber”. Por isso, até o fim do ano, as embalagens de todas as bebidas alcoólicas do Grupo Petrópolis terão a mensagem ‘beba com sabedoria’.

(https://www.folhape.com.br/economia/economia/economia/2017/09/25/NWS,42854,10,550,ECONOMIA,2373-CERVEJARIAS-COMECAM-INVESTIR-CAMPANHAS-CONSUMO-RESPONSAVEL.aspx)